quinta-feira, dezembro 30, 2004

É vero, é Verissimo...

"Como o tempo custa a passar quando a gente espera! Principalmente quando venta. Parece que o vento maneia o tempo e, sempre que acontece uma coisa importante, está ventando."
Erico V.

5 comentários:

Paradoxo disse...

Thiago, coincidência ou não:

Acabei de abrir meu e-mail. Tinha recebido apenas o e-mail de uma amiga que não costuma me mandar o que ela mandou. E adivinha o que ela mandou? Um texto do Veríssimo. Ainda não li o texto. Abri sua página concomitantemente e vi que tu tinha posto o Veríssimo aqui também. Agora vou ler o texto dela. Seiver esta frase , aliás muito boa, que vc pôs dele aqui as luzes vão se apagar e eu vou criar uma comunidade assim " Eu acredito em telepatia". :-)

Thiago Braga disse...

Tu sabia que há estudos que comprovam que a telepatia é um mecanismo que nós perdemos com a evolução da espécie? É como os cachorros que pressentem que seu dono está chegando, mesmo a quilômetros de distância, sabe até quando seu dono está triste ou alegre... Mas o motivo de termos perdido alguns "dons" vem do fato do desuso deles. Assim como o apêndice (possível bexiga aérea) ou do cóccix (rabo primitivo). Perdemos a telepatia porque hoje nos comunicamos perfeitamente apenas com a linguagem, mas ainda há os elos perdidos. Por isso que alguns pressentem o que vai acontecer e, diz esses mesmos estudos, que esse sentido é mais aprimorado nas mulheres (só não me lembro o porque, mas que é fato, é).Isso acontece nas melhores famílias...

Thiago Braga disse...

Por isso que as vezes pensamos nas pessoas no momento em que elas nos ligam, ou sentem o cheiro de um amigo antes dele aparecer minutos depois na sua frente, ou quando levantamos o fone do telefone e a ligação é para você... Exatamente, o homem é um bicho maluco.

Paradoxo disse...

Só não concordo que nos comunicamos perfeitamente com a linguagem, o resto todo, mesmo sem ter nunca pesquisado, assino embaixo. :-P

Beatrix Endy disse...

Oi Thi, pra completar a questão da telepatia: saiu ontem (ou anteontem) no Vida e Arte uma matéria de capa sobre o Veríssimo. Acho que tinha até essa frase. Lembrei de você quando vi.

Sim... mas to escrevendo pra te desejar um feliz ano, de muita felicidade. Beijos!