quarta-feira, dezembro 29, 2004

Buraco na alma (Um problema difícil de aceitar)

É incrível, não podemos nos acostumar com as regalias da modernidade. Ou ter sempre, ou nunca ter: água encanada, luz, telefone, internet, tv a cabo, televisão, toca cd, dvd, videocassete, locadora, carro, bicicleta, óculos, lâmina de barbear, relógio, celular, ônibus, dinheiro, cartão de crédito, cheque, banco, praia, mulher, mulher que cozinha bem, despertador, vale refeição, vale transporte, 13º salário, dentista, oculista, ortopedista, dermatologista, clínico geral, fax, sanitário, chuveiro, papel higiênico, cama, lençol, travesseiro, ventilador, ar-condicionado, caneta, lápis, borracha, corretivo, carteira, bolso, cinto, sapato, meia, cueca, cadarço, números, botão, grafite, audição, olfato, tato, paladar, lentes de contato, gelágua, dedos, cabelo, pernas, braços, saúde, saída de emergência, cinema, teatro, sinal de trânsito, pontes, viaduto, asfalto, gasolina, óleo em geral, senha de acesso, papel, e-mail, orkut, MSN, academia, adrenalina, endorfina, cafeína, Nescau, leite, arroz e feijão, marmita, protocolo, sexo, amigos, namoradas, "ficas", esposas, filhos, família, prancha de surf, lixeira... Enfim, tudo aquilo que um dia tivemos e no momento em que nos falta, cria um buraco na alma.

3 comentários:

Paradoxo disse...

Você esqueceu de incluir os documentos, Thiago, os documentos!rs
ps. me tira dó uma dúvida: ter tato, olfato, audição, paladar e visão é uma regalia da modernidade?:-/

Thiago Braga disse...

É verdade, onde es´~ao os documentos onde procuramois? quando não os queremos, lá estão eles... Em relação ao tato, olfato, audição, paladar e visão quis expressar na forma em que os utilizamos hoje. O que vemos, ouvimos, sentimos e cheiramos: a cada tempo, sua particularidade.

Fernanda disse...

É exatamente assim... como um buraco na alma...