quarta-feira, dezembro 22, 2004

A Tragicomédia de Nossa Vida - Arthur Schopenhauer

"Vista e examinada minuciosamente de alto e de longe, a vida de cada homem tem o aspecto de uma comédia; em sua total consideração ou em seus aspectos mais dignos de apreço, se apresentará como uma contemplação trágica. O afã e o trabalho de cada dia, os desejos e receios cotidianos, as desgraças de cada hora, os acasos da sorte sempre disposta a nos enganar são outras tantas cenas da comédia. As aspirações iludidas, as ilusões desfeitas, os esforços baldados, os erros que completam nossa vida, as dores que se acumulam até terminar na morte, o último ato, eis a tragédia. Parece que o destino quis juntar o escárnio ao desespero, e, fazendo de nossa vida uma tragédia, não nos permite conservar a dignidade de uma personagem trágica. Por isso é que em todos os atos da vida representamos o lamentável papel de cômicos."

ps: Quem nunca se percebeu na Náusea sartreana? Aqueles dias em que você se arrepende do momento em que abriu os olhos. Nota-se que ao invés de Sartre, preveri Schopenhauer. Ele sempre teve as melhores respostas as piores perguntas. É tragicômico...

2 comentários:

Fernanda disse...

OLha... mais uma coincidência...ontem foi um dia desses pra mim... preferia ter ficado o dia na cama, sem ao menos per posto o pé no chão!

Paradoxo disse...

Como de um amigo meu que tem um sorrisão sembre aos lábios e uma piada sempre à lingua: "quando nóis não tá bem, nóis faz a capa".