quarta-feira, março 02, 2005

Indiscutivelmente: Deusas existem!



O que seria a beleza? Há um Belo em-si? Na Grécia antiga e mais presisamente em Platão havia. Começava pela adoração do belo, das pequenas coisas belas da vida que nos causavam essa sensação de beleza sem explicação: o pôr do sol, o seu nascer, o luar, uma arquitetura ou apenas uma simples flor. Depois dessas pequenas admirações passávamos a admirar os belos corpos e tudo de belo em que há neles: os olhos de uma mulher, sua boca, seus longos cabelos castanhos... Enfim, a perfeição que é todo o conjunto de uma mulher. E por último poderíamos amar e adorar o Belo em-si. A Idéia de Belo. Esse seria o que nas coisas nos faz soltar os olhos, a participação da Beleza nas coisas. Platão explicava isso através do Mundo das Idéias. Local onde estivemos antes de vir a terra. Lá convivemos com todas as idéias que aqui estão. O Belo em-si, o Justo em-si, o Bem em-si. Contudo, quando nascemos caímos desse mundo dentro desse cárcere que é o corpo (isso mesmo, os cristãos não são nada originais) e, por causa dessa queda, nos esquecemos de tudo o que havíamos presenciado. Portanto aqui era o local de aprender, na verdade de re-aprender, de re-lembrar do que é Belo, Justo ou Bom. Por isso temos uma noção porque um dia as presenciamos cara-a-cara. E para isso nossa vida era delineada a atingir a aretéia, a virtude de re-lembrar de tudo que presenciamos um dia. Assim nos tornamos pessoas virtuosas. Eu só me lembro de uma coisa, ter visto Nicole por lá...

Um comentário:

Fernanda disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.