domingo, julho 23, 2006

Dica de Livro: A Cura de Schopenhauer

" - Vou contar uma coisa - disse Julius - Anos atrás, em Xangai, estive numa catedral deserta. Sou ateu, mas gosto de conhecer lugares religiosos. Bem, dei uma volta na catedral, sentei no confessionário vazio e fiquei invejando o padre-confessor. Que poder ele tinha! Tentei dizer: "Você está perdoado meu filho, você está perdoado minha filha". Imaginei a enorme segurança dele por se considerar o elo do perdão que vinha direto do homem lá de cima. E como as minhas técnicas pareciam insignificantes em comparação com as dele. Mas depois que saí da catedral, concluí que pelo menos eu vivia de acordo com as normas da razão, e não tratava meus pacientes como crianças, transformando mitologia em realidade."

Um comentário:

danielle disse...

to esperando...¬¬